É fotógrafo?! Que câmera você indica pra mim?

© Austin Calhoon

É fotógrafo?! Que câmera você indica pra mim?

Indicar a câmera que você deve/pode comprar não é tarefa tão simples, mas algumas perguntas ajudarão a nos guiar até a resposta.

foto: Austin Calhoon (CC)

 

Imagine-se chegando numa loja de roupas, dessas mais comuns mesmo (estilo C&A, Renner) e dizendo para um atendente:

— Oi. Eu queria comprar uma camisa.

O que viria a seguir? O atendente pediria para você esperar só um pouco para seguir até o estoque ou a estante/arara certa e trazer-lhe a camisa perfeita para você, ou em vez disso lhe faria uma série de perguntas? A resposta é óbvia, mas se prosseguirmos com a hipótese podemos facilmente imaginar e analisar o que viria adiante nessa situação.

Vejamos, então.

Primeiramente o atendente iria avaliar rapidamente o seu estilo, a partir do que você estará vestindo. Mas essa primeira avaliação é menos importante do que parece, pois ele lhe faria uma pergunta fundamental:

— É para alguma ocasião?

A resposta a essa pergunta crucial fará uma imensa diferença na eficácia do que o vendedor vai lhe trazer. A partir dela, e o quão completa for essa resposta, ele saberá o tipo exato de camisa mais adequado, que cores podem ou não podem, se você complementará a camisa com mais alguma peça.

Juntando-se a essas informações teremos ainda algumas outras mais pessoais, específicas de seu caso: suas medidas, seu biotipo e alguma preferência de malha ou tecido. E assim, após todas essas questões respondidas, o vendedor avaliará as opções existentes para você, sejam na loja ou no mercado em geral (afinal ele não terá culpa se a loja não tiver um produto de acordo com suas necessidades).

Percebe como não é tão simples dizer que camisa você deveria comprar? O que dizer, então, de uma câmera? Bem mais complicado, não? Mas é possível notar semelhanças entre ambas situações, por mais que a ideia soe estranha.

— Você é fotógrafo?! Uau! Escuta… que câmera você indica pra mim?

E aqui começam as várias questões para que se possa, afinal, ser respondida à pergunta inicial do interessado, que listo adiante:

Que uso fará da câmera?

Pretende realizar trabalhos pagos, agora ou futuramente? Em que tipo de eventos/locais? Vale ressaltar que essa pergunta não é para constranger um possível futuro concorrente, até porque numa área criativa uma das atitudes mais prejudiciais ao negócio é exatamente a de tratar colegas sempre como peças a serem manipuladas/derrubadas num grande jogo corporativo.

Qual seu nível de experiência fotográfica?

Fez já algum curso, aprendeu algumas coisas por aí, ou está zerado em termos de conhecimentos fotográficos?

Nas ferramentas (leia-se ‘câmeras, objetivas, flash e por aí vai’) vale algum aprendizado com câmera de celular, ainda mais em tempos de aplicativos cada vez mais configuráveis. Uma experiência com câmera dedicada, modos manuais e etc, no entanto, deve indicar melhor o quanto você está sabendo.

No restante — que também é importante — tem-se o aprendizado que será mais arduamente utilizado em todo o tempo em que alguém mantiver-se clicando, já que o uso da ferramenta fica ‘automatizado’. Uns aprendem logo composição e outros ‘detalhes’; outros necessitam de uma ajudinha, não há vergonha nisso.

Se já usou uma câmera, que marca era? O que gostou e não gostou?

Essa não tem muito o que explicar: quem já usou uma ou mais câmeras já sabe dizer se gostou de utilizá-la, ou qual preferia usar mais, ou menos. A ‘pegada’, o layout dos botões e aspectos do tipo têm feedback bem pessoal, mas podem ser justo a diferença entre clicar com prazer e praticar uma arte muito complicada cujo praticante tem cabeça de engenheiro.

Bom notar que mesmo entre modelos da mesma marca costumam ocorrer diferenças, especialmente nos controles (a não ser, às vezes, entre câmeras da mesma linha). Evite, então descartar toda uma marca por causa de um modelo somente. Aliás, nunca generalize: tenha em mente que não existe marca boa ou marca ruim.

Alguma preferência em termos de proporções?

Quem é mais experiente no mundo fotográfico sabe como há muita diferença entre manusear uma action camera(como uma GoPro) e usar uma DSLR, assim como cada categoria de câmera tem seus modelos com diferentes proporções, peso e ‘pegada’.

E uma questão importantíssima, que a bem da verdade costumo fazer antes de todas as outras:

Qual seu orçamento?

Esta obviamente não tem exatamente paralelo com uma das perguntas que o vendedor numa loja de camisas lhe fará — o consumidor é que dirá se as opções estão compatíveis com suas finanças. Porém em se tratando de equipamentos fotográficos o quanto se tem para investir faz uma enorme diferença, seja à vista ou parcelado. Por sinal, ter mesmo que apenas 5% de desconto num pagamento à vista numa câmera, objetiva ou flash (ou todo o kit) pode ser um ganho e tanto — converse com seu vendedor da D&M sobre isso!

Essas são as questões que seria bom ter em mente antes de perguntar a um(a) fotógrafo(a) por indicação de câmera a comprar/adotar. Espero ajudar tanto a quem deseja perguntar quanto a quem já teve ou terá que responder.  Ah, e por último, mas não menos importante quero indicar este pequeno guia que escrevi no Fotografia DG para quem busca por uma câmera fotográfica e sente-se perdido: Câmera fotográfica: como escolher?

SalvarSalvar