Dicas rápidas pra melhorar já suas fotos

Dicas rápidas pra melhorar já suas fotos

Quem não gosta de dicas?!

 

Existem n dicas que podem ser dadas tanto a amadores quanto a profissionais, sejam curtas ou longas explanações que preenchem livros. Algumas no entanto acredito serem mais universais, aplicáveis a basicamente todos tipos e níveis de fotógrafo. Seriam mandamentos? Talvez. Deixo que vocês digam e considerem a sério, ou nem tanto.

  1. Olhar atento, câmera à mão

Às vezes aquele momento decisivo ocorre quando você acabou de ver a cena, ativou a câmera e começou a disparar… Ou ainda estava puxando seu equipo do fundo da mochila, tirando a tampa, ligando a câmera e se frustrando em ver pelo visor que o grande momento passou. Só restou o suspiro e alguns cliques atrasados.

Esteja pronto, então: deixe a objetiva sem tampa (use um parasol para proteger), câmera ligada (mesmo em stand by), uma configuração legal para captar uma cena que aconteça de repente e, claro, olho atento à sua volta. Ah, e não pense que isso vale apenas para fotojornalismo: pergunte a um bom fotógrafo de paisagens com quantas luzes especiais mas bastante fugazes ele já deparou-se!

 

  1. Dispare primeiro, cheque depois

Se tem uma distração fácil de cair, mas que também não é difícil de parar com o mau hábito, é a de ficar olhando embasbacado praticamente cada foto tirada — um ato que em português traduz-se como chimpar. Sim, de chimpanzé, abrindo aquele mega sorriso e batendo palma pra cada clique. Monitor é pra dar uma checada rápida, não pra atrapalhar o fluxo de uma sessão e ainda ficar alimentando ego de fotógrafo e deixando retratado(a) e quem estiver por perto lhe achando ‘metido’. Deixe pra ‘se achar’ quando baixar as fotos ou postá-las (até que umas curtidas pífias possam lhe dar um balde de água fria).

 

  1. Deixe de preguiça, mude de ângulo

Tirou as primeiras fotos logo que viu a cena? Ótimo! Agora veja se pode clicar de um ponto diferente, seja vendo por outro lado o motivo, seja se baixando ou subindo a câmera — ou mesmo juntando a mudança de altura e  de ponto de captura — explore o local onde está, os limites, as possibilidades. A mudança de perspectiva e de elementos no quadro pode ser até inspiradora. Faça o teste já na próxima sessão e veja a diferença.

 

  1. Não esqueça o contexto

Por mais que você seja um fotógrafo fã de detalhes, pense como suas fotos podem ficar ainda mais interessantes quando se mostra o contexto da situação. Afinal, o que seria, por exemplo, de um jogo sem os torcedores? Ou um show sem o público, um protesto sem a extensão da passeata? Outros exemplos mais sutis podem ser percebidos com o tempo e a prática, então essa é um ponto bem interessante a manter em mente na evolução de sua fotografia.

As fotos mais ‘gerais’ podem ser mais fortes, assim como também podem servir para fortalecer aqueles closes com pouquíssimos elementos da história em cada quadro. Experimente.

 

  1. Uma luz extra é bem-vinda

Existem várias maneiras de ter mais luz para fotografar. Obviamente uns serão mais apropriados e outros menos, a depender do motivo a ser fotografado e das circunstâncias — afinal não existe solução aplicável a todas situações, seja por eventual inconveniência, falta de praticidade ou impedimentos/recomendações de quem organiza. Esse é um dos desafios de quem fotografa: ter/conseguir uma solução para problemas variados na hora de conseguir suas belas fotos.
Como ter mais luz? Pode-se ter mais luz simplesmente mudando o objeto ou o modelo de lugar para que a luz do local incida melhor no que/em quem está sendo fotografado. Outra maneira de explorar a luz ambiente a seu favor para ter melhor luz em sua foto é fazer uso de um rebatedor de cor apropriada para o momento.

 

  1. Use um parasol

Pode ser um modelo feito especificamente para sua objetiva, seja mais cilíndrico ou do tipo tulipa, da marca da objetiva ou alternativa, ou mesmo artesanal, não importa.
Como já dito mais acima, o parasol pode ser usado para proteger a objetiva de eventuais batidas na objetiva e dedos de pequenos que venham menos diretamente, preservando o vidro mais externo dela. Mas além disso ganha-se com o parasol também a prevenção de reflexos indesejados (ainda que não os flares por luz direta), e obtém-se melhor contraste na fotografia em geral ‘cortando’ as luzes que batem na objetiva por ângulos mais estreitos (que provocam o chamado glare).

 

  1. Saiba a hora de dar um tempo

Algumas situações são bem chatas de serem registradas, por parte dos retratados — e isso quando as fotos não são simplesmente inconvenientes.
Um exemplo: quando as pessoas estão comendo. Já reparou como é difícil alguém ficar à vontade sendo clicado dando umas garfadas? E nem se fala das rápidas expressões terríveis que fazemos involuntariamente quando estamos em meio a uma refeição. Em outras palavras, essa é uma ótima hora pra descansar a câmera e comer (afinal fotógrafo também tem direito, certo?).
Um outro exemplo: pessoas em estado de miséria. Existem dois problemas aqui. Um é o da retratação nem sempre digna, humana, por mais que não seja a intenção; e o outro são os cliques que mostram um problema porém não como ajudar a resolvê-lo, especialmente no caso de retratos de moradores de rua específicos — retratos sem nome, informações do retratado, do local… Uma denúncia incompleta torna-se não apenas ineficaz como vazia e pode até mesmo cair no perigoso terreno da exploração da desgraça alheia. Faz parte da ética fotográfica procurar não cair nesse e outros erros do tipo.

E aí, tem mais alguma dica que você daria a todos fotógrafos? Conta aí!

SalvarSalvar